Tendinite tem Cura?
Tendinite tem Cura?

Sim, eu acredito que o corpo é a mais fantástica máquina criada e que dispõem de mecanismos para reparar a si mesmo.

Apenas devemos  ter alguns pontos bem esclarecidos:

> A má postura gera compensações. Dores crônicas são a resposta do seu corpo a essas compensações.

> As atividades físicas, executadas de forma automática, não são as melhores ou as mais inteligentes.

Uma forma de entender

Devemos deixar bem claro, de que não existe formula mágica na recuperação de um quadro de tendinite.

Na sabedoria oriental, a dor é vista como coadjuvante no processo de concientização corporal (avisa quando estamos ultrapassando nossos limites!)

A cura vem da resposta do corpo aos novos estímulos - proporcionados pelas técnicas utilizadas, somadas a um despertar da "conciência corporal". 

Técnica e prática

Através da experiência prática, junto aos clientes e amigos foi possível desenvolver um conjunto de procedimentos a serem seguidos - protocolo terapeutico - para amenizar as dores resultantes da tendinites de forma permanente.

O que diferencia nosso tratamento  é a utilização de "engenharia reversa" ou seja, buscamos não a apenas amenizar os efeitos, mas sim descobrir as causas.

Uma vez que trabalhamos as causas, os sintomas não se sustentam!

É eficiente para o tratamento de  epicondilites, tendinite do bíceps e do tendão do calcâneo (antigo tendão de Aquiles).
 

Jovens Mamães

Outra situação inusitada que encontrei foram casos de "tendinite pós-parto".

Um dos hormônios (relaxina) presentes durante o terço final da gravidez, promove uma "frouxidão". É o responsável pela dilatação da pelve e preparação para o trabalho de parto.

Normalmente não ocorrem maiores problemas. Mas, uma pequena porcentagem das jovens mamães, após o parto, apresentam ainda níveis hormonais  muito altos.

A falta de prática acaba por  tornar atividades como amamentar ou trocar os bebes, uma atividade muito estressante.

Após algumas semanas, a somatória destes fatores pode gerar um quadro de fraqueza e dores articulares nos ombros e punhos. 

O que ocorre é que o hormônio continua atuando, e sob atividades estressantes acaba por "desalinhar" os ossos do carpo.

Nosso tratamento é rápido (duas sessões), e devolve a força e flexibilidades perdidas.

 

Estou próximo ao Metrô Jabaquara - SP, aguardando um contato para eventuais dúvidas sobre esta e outras patologias como síndrome do túneo do carpo, epicondilites, "cotovelo de tenista" e "cotovelo de golfista".

 

 



 

 

Voltar a página inicial

Relato de Paciente

Síndrome do Túneo do Carpo

Minhas informações:
Ercio Ienaga
Nome:
contato@guenki.com.br
E-mail: